janeiro 02, 2013


«O pai tem o direito de vida ou de morte sobre os filhos. Quando nascem, colocam-lhos aos pés. Se o pai os toma nos braços, estão salvos. Quando não é bastante rico para os poder educar, ou quando se desespera por não poder corrigir certos vícios de conformação, desvia o olhar. Então, quem lhe apresentou a criança corre a expô-la bem longe ou a tirar-lhe a vida. Em Tebas as leis proibem tão bárbara prática, mas em toda a Grécia a autorizam ou toleram. Alguns filósofos aprovam-na, e outros, contraditados por moralistas mais rígidos, acrescentam que a mãe, quando já sobrecarregada por família numerosa, tem o direito de destruir o ser que traz no ventre.»

J.J. Barthélemy, A educação ateniense (1788),
Lisboa, Editorial Inquérito, s/d, pp.14-5

5 comentários:

ahn disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Michael Leandro disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
vbm disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vbm disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
vbm disse...
Este comentário foi removido pelo autor.