janeiro 07, 2011



“Rios d’Alma “, de Teresa Gonçalves Lobo.

Boa Memória

Se cortassem o Danúbio às fatias
ninguém veria uma mutilação.
A água abre-se em duas
e refaz-se mal o corte finda.
Só que o azul se tinge
do suor da lâmina.
Mas é belo que um rio guarde
a cor dos sacrifícios.


Fernando Namora

5 comentários:

Sylvia B. disse...

carissimo. obrigada pela visita. claro que pode colocar aqui o meu poema. esse e os que quiser.

Um bom ano,

S.

vbm disse...

:)
Vou fazê-lo.
Obg.,
V.

candida disse...

não sabia k o namora escrevia poesia.

candida disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
vbm disse...

(eliminada só porque repetida!)

Sim, Fernando Namora tem poemas
mas eu só conheço um ou outro,
da net. E belos, por sinal!